Emos, Floggers y Cumbieros

Publicado en Portgues por Editorial Moderna Digital

Felicitamos a la Lic. Melina Knobel y Lic. Alejandro Urman por la publicación de su articulo Emos, Floggers y Cumbieros en idioma portugués por Editorial Moderna Digital.

Podés ver el articulo en versión en español.

Emos, floggers e cumbieros Novas tribos urbanas ou a velha rebeldia adolescente? Outubro de 2008, por Alejandro Urman e Melina Knobel Floggers, emos, tribos urbanas... Na TV, nas ruas ou no escritório, todo mundo está comentando sobre esses novos grupos de adolescentes. A mídia os retrata como novos e impressionantes fenômenos. Mas vamos dar uma olhada mais de perto neles: a necessidade de se identifi car com seus pares e de se sentir diferente de todos os outros é normal para adolescentes. Por que os antigos hippies e os punks os menosprezam?

Sejamos francos: a maior parte da mídia que aborda esse assunto – seja na TV, no rádio ou em jornais – faz isso de modo superfi cial. Eles se concentram nos fl oggers, emos, cumbieros e outros. No entanto, tratam esses grupos como esquisitos ou como típicos adolescentes rebeldes. Apesar do fato de lhes ser atribuído o termo “tribos urbanas” e de eles serem retratados por seus hábitos ou suas extravagâncias, esse fenômeno não pode ser compreendido de forma adequada sem se mencionar algo que veio bem antes dos fotologs ou da cumbia villera. Estamos falando do fenômeno adolescência. [...] Ver e ser visto “Alguns deles preferem vestir preto; outros escolhem diversas cores. Alguns querem apenas passar despercebidos, enquanto outros querem ser vistos por milhões de pessoas.” Foi assim que o jornal argentino La Nación apresentou o assunto das tribos urbanas em uma matéria chamada “Tribus urbanas, lugares de pertenencia” (em português, “Tribos urbanas, o sentido de pertencimento”). Mas será que algum adolescente quer mesmo passar despercebido? Estamos vivendo em uma época dominada pela proximidade e conectividade permanente. Facebook, MSN Messenger, Fotolog e blogues são ferramentas que, por meio da internet, permitem aos usuários serem vistos por milhões de pessoas. Ver e ser visto parece ser o segredo para esta era.

PDF - 208.6 KB